O Combate

O planeta Zilrus é habitado pelos arelinos, e fica a dois milhões de anos-luz do sistema solar. Seu povo é guerreiro e tem verdadeiro orgulho de suas conquistas espaciais. Exploram alguns planetas menores, possuindo tecnologia que lhes permitem construir andróides.

Esses robôs, os andróides, são altamente especializados e possuem sentimentos como raiva, tristeza, medo e insegurança. Apresentam um corpo semelhante ao de um gorila, sabem falar e são muito ágeis.

A maior diversão dos arelinos é assistir às lutas entre os robôs.

Existem muito respeito e amizade entre os comandantes espaciais, exceto entre Espokes, chefe da frota estelar azul, e Aldum Sinis, importante estrategista nos combates galácticos.

Cada um tem características de combate bastante peculiares. Espokes utiliza potentes armas nucleares, enquanto Aldum Sinis prefere o uso da energia mental.

As desavenças entre dois chegaram a tal ponto que resolveram enfrentar-se numa luta de robôs. Cada um teria o direito de comandar um andróide de sua escolha, vencendo o confronto aquele cujo robô derrotasse o do adversário.

Todas as atenções do planeta Zilrus voltaram-se então para o grande combate.

De acordo com as regras acertadas entre ambos, na data estipulada cada um traria um robô da Guarda especial, tendo direito a dar-lhe três armamentos especiais e orientações de combate.

Finalmente chega o grande dia. Espokes, que escolhera um enorme andróide, fornece-lhe um escudo protetor, um laser com seis tiros e uma espada de elétrons, passando em seguida a instruí-lo enérgica e gesticuladamente. Aldum Sinis, por sua vez, apenas diz alguma coisa rapidamente ao ouvido do seu comandado e ficam aguardando o início da luta.

O povo arelino presente estranhou muito o fato de um dos robôs estar totalmente desarmado, ficando a impressão que sofreria um tremendo massacre por parte do andróide de Espokes.

Que combate! Um dos lutadores disparando tiros, desferindo golpes de espada, enquanto o outro esquivava-se, saltando e se utilizando dos próprios objetos encontrados na arena de combate para a sua defesa. O tempo foi passando e em poucos minutos a munição do laser terminou, a espada de elétrons descarregou e o escudo protetor perdeu sua trava de segurança. Assim, em igualdade de condições, os dois adversários iniciaram então uma luta corporal.

Embora sem os apetrechos, o robô de Espokes era maior e mais forte do que o outro. O estádio espacial, totalmente lotado, assistia atentamente ao combate que, para surpresa de muitos, terminou com a vitória do andróide menor.

Inconformado, Espokes cumprimentou Aldum Sinis e perguntou-lhe: “O que você disse ao ouvido do seu robô, antes do começo da luta?” Ao que Aldum respondeu: “Este é o segredo da vitória”, e sorrindo olhou para o seu robô.

Aquele andróide que acabara de vencer a luta tinha armazenado em sua memória as palavras sussurradas pelo seu comandante: “Vá e lute, eu confio em você!”.

Do livro: A Magia da Linha do Tempo – Cid Paroni Filho – Ed. Lúmen – Pág. 75/6

Arquivado em Metáforas

Leia outros artigos relacionados

Deixe um comentario