Objetivos são coisas sérias – Parte I

Quocientes (QI, QE, QS e QA), Inteligências Múltiplas, Coaching e Níveis Neurológicos

Por Valdecy Carneiro

Quociente Intelectual (QI)
Durante muito tempo as instituições educacionais e, por extensão, as empresas, tomaram como parâmetro de competência os testes avaliadores do QI (Quociente Intelectual ou de Inteligência). Com o tempo passou a se perceber que nem sempre os indivíduos que se destacavam com pontuações elevadas em tais testes eram os mais bem sucedidos ou melhor relacionados. Parecia estar faltando alguma coisa. Que coisa era essa? Que dons tinha o dono do supermercado ou a dona do salão de cabeleireiros ou o representante de vendas diretas bem sucedido que lhes fazia ter fama, dinheiro e admiração no trato com as outras pessoas?

Quociente Emocional (QE)
Após a divulgação dos trabalhos do americano Daniel Goleman sobre Inteligência Emocional, a impressão que se teve foi a de um “bum”, ou a descoberta da mágica suprema que revolucionaria todos os relacionamentos e impulsionaria todas as carreiras.

Ter Inteligência Emocional seria o supra-sumo para todos aqueles que precisassem alavancar os seus progressos. Criaram-se diversos testes para a medição do Quociente Emocional, ou a capacidade de relacionar-se interpessoalmente, de modo estável e carismático. Contudo, mesmo pessoas com bons índices de QI e de QE continuavam a ter problemas em suas carreiras e, quiçá, em suas vidas pessoais. O que faltava, então?

Quociente Espiritual (QS)
Alguns outros autores começaram a mencionar o QS ou Quociente Espiritual, ou seja, a capacidade de o indivíduo lidar com suas abstrações e valores inerentes a uma crença superior – qualquer que seja ela – e à sua própria introspecção. Podemos dizer que seja a capacidade do indivíduo perceber qual é a visão que o motiva a ir avante em seus projetos e relacionamentos. Contudo, o fato de um indivíduo ter uma boa intuição não significa que o mesmo será automaticamente bem sucedido. Sentir – ou intuir – o que é o ideal para ser feito não significa, necessariamente, saber planejar racional e logicamente (QI) nem tampouco que se terá o equilíbrio emocional e o traquejo exigidos ao lidar com os companheiros na realização da empreitada (QE) e.muito menos que se vá tomar a atitude de fazê-lo. Atitude!!! Será que é isso o que falta?

Quociente Atitudinal (QA)
Uma das maiores modas atuais quando se fala em coaching é verificar o QA (Quociente de Atitude ou Atitudinal) do coachee (indivíduo que passa pelo processo de coaching).

Podemos inferir que o QA mede a capacidade que o indivíduo tem para agir ou reagir. Mas se o indivíduo somente agir ou reagir, e não o fizer de forma integrada com seus valores, sua intuição, seus planejamentos, com empatia (rapport) terá sucesso?

Integrando os Quocientes
Ora, certamente os colegas já perceberam onde quero chegar. Vejam a fórmula abaixo:

QI + QE + QS + QA = SUCESSO

 Objetivos são coisas sérias   Parte I

Perceberam como é simples?
Saímos de uma visão reducionista para uma visão ampliadora, global e sinérgica.
Qualquer processo no qual se queira, de fato, a evolução e não a dependência do indivíduo ou da organização, deve ser realizado de maneira sistêmica e ecológica, de modos que o indivíduo ou organização, automaticamente, mudem gradativamente para melhor… Sempre. Lembre-se: para melhorar não é preciso estar ruim.

Para finalizar esta primeira parte:

 Objetivos são coisas sérias   Parte I

Lembramos que estes conceitos são trabalhados e alinhados sinergicamente em nosso curso Programando o Próprio Futuro: Preparando-se para Vencer e Ser…